Descubra como escolher um sistema fotovoltaico eficiente

O mercado de energia renovável nunca esteve tão em evidência quanto nos últimos anos. Produzida a partir de um sistema fotovoltaico, a energia solar é um dos modelos mais comuns e utilizados entre os consumidores brasileiros, seja em ambientes residenciais ou comerciais. Isso se dá principalmente por conta das vantagens econômicas, ambientais e sociais desse tipo de equipamento.

Afinal, vale destacar a redução no valor da conta de energia elétrica, bastante representativo na maioria dos casos. Ademais, trata-se de um sistema que utiliza fontes de energia renováveis e não provocam, portanto, agressões ao meio ambiente, tanto quanto às transformações impostas pela instalação de represas utilizadas nas usinas hidrelétricas, por exemplo.

Nesse contexto, é importante destacar alguns cuidados na montagem de um sistema de fato eficiente, haja vista as inúmeras opções disponíveis no mercado. Portanto, se quer entender mais sobre este assunto, continue a leitura e descubra o que avaliar na escolha do seu equipamento!

Dicas para escolher um bom sistema fotovoltaico

  • Capacidade de produção de energia

O primeiro fator que deve ser observado para a escolha do painel fotovoltaico é o volume de energia dado através do consumo médio de energia — geralmente constante na conta de luz cobrada pela companhia. Dessa forma, é possível entender melhor qual a capacidade de produção energética o seu projeto demandará para atender adequadamente suas necessidades.

Em seguida, é preciso também definir os moldes que pretende adotar no uso de energia solar, afinal, é possível adotar um sistema capaz de produzir toda a demanda do espaço, bem como apenas uma porcentagem do consumo total. A principal vantagem de sistemas mais robustos, isto é, sendo capazes de suprir toda a demanda é a possibilidade de obter descontos na conta de energia ao repassar o excedente produzido para a rede pública.

  • Escolha do painel fotovoltaico

Após estabelecer qual a capacidade de produção de energia que o seu projeto pode precisar, é hora de definir o sistema propriamente dito, começando pela escolha do painel fotovoltaico. No mercado, existem diferentes tipos de painéis solares, como os Policristalinos, Monocristalinos ou de Filme Fino — versão esta que ainda dispõe de outras variações, como o Telureto de Cádmio; Silício Amorfo; Cobre; Índio e Gálio Seleneto; Células Fotovoltaicas orgânicas.

Os Policristalinos abrem a lista de painéis mais utilizados, pois contam com características importantes como custo acessível e boa vida útil. De modo geral, estima-se que o seu prazo de uso seja superior a 30 anos e em boas condições. Contudo, a maioria dos fabricantes oferece 25 anos de garantia para o equipamento.

Por outro lado, em termos de eficiência energética, os painéis Monocristalinos são mais eficientes que o modelo anterior, afinal, sua capacidade gira em torno de 15% a 20%, além de ter uma vida útil média que varia entre 30 e 50 anos. Nesse contexto, é mais comum encontrar o modelo em indústrias ou hospitais, por exemplo.

Finalmente, os painéis de filme fino são muito conhecidos por apresentar alta tecnologia e maior sensibilidade nas suas placas. Diferente dos modelos anteriores, este geralmente apresenta uma eficiência menor, muito embora seja um equipamento de baixo custo. Outra diferença importante é que eles apresentam 50% a menos da eficiência energética dos modelos anteriores e têm uma vida útil de apenas 10 a 15 anos.

  • Definição do inversor

Assim como os painéis solares, o inversor trata-se também de uma parte indispensável para o bom desempenho de um sistema fotovoltaico. Isso se dá em razão do seu papel, já que ele está encarregado de transformar a corrente contínua (CC) em alternada (CA), tornando sua aplicabilidade para variadas finalidades — além de assegurar a proteção de todo o sistema e medir a energia produzida.

Existem 6 tipos de inversores no mercado, no entanto, os mais comuns são do tipo off grid e micro inverter. O primeiro modelo que, em português quer dizer “fora da rede”, são equipamentos utilizados para funcionar de maneira independente da rede elétrica. Portanto, utiliza-se mais frequentemente em sistemas a bateria localizados em regiões isoladas.

Já o micro inversor solar se trata de um equipamento adotado para operar a partir de uma placa solar ou um par de placas. Basicamente o seu papel é converter a energia de corrente contínua para corrente alternada e sua principal vantagem é operar de forma independente de cada painel, permitindo a utilização em painéis com diferentes pontos de sombreamentos ou inclinações, por exemplo.

  • Garantia dos equipamentos

Para estabelecer um projeto de fato eficiente, como se espera de um bom sistema fotovoltaico, é preciso avaliar aspectos que vão além do custo de cada componente. Isso porque verificar a garantia dos equipamentos passa por um ponto crucial. Portanto, é preciso avaliar tanto a ficha técnica dos aparelhos quanto atentar-se para as normas técnicas e funcionais.

Para a maior parte dos painéis solares, a potência máxima, em 25 anos de uso, pode chegar a 80% da sua capacidade inicial. Logo, é fundamental analisar a garantia, sobretudo sob o aspecto do cumprimento das regras de proteção ao consumidor, haja vista a possibilidade de o equipamento apresentar falhas de desempenho, por exemplo.

  • Empresa responsável pelo projeto

Até aqui vimos os componentes-chave para um sistema fotovoltaico de sucesso. Entretanto, é preciso também dar atenção a outros fatores, como a empresa que será responsável pela execução do projeto e instalação do painel solar, afinal, um projeto mal executado pode comprometer tanto a eficiência quanto a durabilidade do sistema em geral.

Nesse contexto, ressalta-se a importância de contar com empresas especializadas e certificadas. Além disso, deve-se buscar informações sobre o seu licenciamento ante os órgãos de fiscalização para se assegurar de que se trata de uma empresa que de fato está autorizada a realizar esse tipo de serviço.

Esses pontos podem ser justificados a partir do fato de que em alguns casos, empresas seguras e confiáveis normalmente incluem serviços adicionais — como a revitalização das instalações ou ligações do sistema em outras fontes de energia alternativa —, ou seja, que normalmente não estão atrelados ao funcionamento do sistema, mas que podem eventualmente permitir um melhor desempenho, sobretudo em ambientes maiores como os setores industriais.

Pronto! Agora você já sabe os principais aspectos que devem ser observados na hora de escolher um bom sistema fotovoltaico. No entanto, se precisar de ajuda na execução do seu projeto, entre em contato conosco agora mesmo e agende uma consulta com nossos especialistas.

Acompanhe também nosso perfil no Instagram para ficar por dentro de notícias, dicas e informações sobre o tema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *